» » » Celebração em Homenagem aos Antepassados – 06/2007

Celebração em Homenagem aos Antepassados – 06/2007

Celebração realizada dia 17 de Junho de 2007.

Fotos

Salmo

Mabito

Tada Kami no
oomikokoro ni kanawan to
tsutomuru hito koso mabito narikeri.

 

Yoki kokoro
tsutome okose kasanareba
itsuka makoto no zennin to naru.

 

Yoki koto wo
kasane akaruku hi wo okuru
hito wa hatenaku sakae yukunari.

 

 

Homem de Princípios

É verdadeiro
homem que se dedica unicamente
ao desejo infinito do coração de Deus.

 

Fazendo surgir
repetidamente sentimentos nobres,
um dia o homem tornar-se-á bom de verdade.

 

Acumulando
cada dia boas ações com alegria,
ao passar do tempo, o homem torna-se próspero.

Ensinamento

Egocentrismo

 

Oficiante: Por cultivarem um egocentrismo exagerado, muitos deixam de receber plenamente as bênçãos de Deus. Tal atitude corresponde a um comportamento que se res¬tringe apenas à salvação individual, sem preocupação al¬guma com o bem do outro.

Todos: Na realidade, a verdadeira postura humana deve estar sempre voltada à libertação do próximo. Dessa maneira, as pessoas tornar-se-ão úteis, ao mesmo tempo, a Deus e aos seus semelhantes.

Oficiante: Convém, portanto, que todos busquem cons¬tantemente a felicidade do próximo, descartando qualquer mal, nunca sendo pessoas egocêntricas, individua¬listas que se magoam diante da menor crítica. Devem, ao con¬trário, ter sempre muito claro que ressentimentos acumu¬lados resultam em infortúnios pessoais e nunca agradam a Deus.

Todos: Volto, por isso, a insistir: parem de se preocu¬par com as picuinhas que a vida apresenta. Mante¬nham constante gratidão a Deus e continuem beneficiando os demais de maneira desprendida e abrangente. Tal modo de agir impede que os erros alheios sejam comenta¬dos; não permite também a projeção de sentimentos hu¬manos no caminho da estreiteza mental para determinar quem é bom ou mau. Na verdade, tal direito só pertence a Deus.
Oficiante: Dissipação das máculas

Há duas formas de dissipar as máculas: pelo sofri¬mento e pela prática de boas ações, as quais permitem que virtudes sejam acumuladas.

Todos: Vou citar dois exemplos que poderão trazer a todos maior esclarecimento a respeito das minhas consi¬derações. Há alguns anos, um jovem tuberculoso, que ha¬via sido desenganado pelos médicos, ingressou num credo denominado Tenri. Ansioso por realizar algum benefício em favor do próximo, decidiu limpar o catarro que as pes¬soas cuspiam nas ruas de sua cidade. Dedicou-se a essa tarefa durante três anos. Um dia, percebeu que sua molés¬tia havia desaparecido e ele estava comple¬tamente curado.

Oficiante: O segundo fato refere-se ao episódio ocor¬rido com Tchogoro Yamamoto, famoso bandido japonês, mais conhecido como Jirotcho de Shimizu. Certa vez, Yamamoto encontrou-se com um grão-sacerdote budista que lhe disse em tom bastante sério: “vejo em seu rosto o sinal da morte. Você tem, no máximo, mais um ano de vida”. Di¬ante de tal presságio, algo tocou-lhe a alma. En¬tão Yamamoto doou toda a sua fortuna e retirou-se a um templo budista para aguardar a morte. Passa¬ram-se dois anos e nada lhe aconteceu. Um dia, voltou a cruzar com o religioso e dirigiu-se a ele pensando em acusá-lo de o ter enganado. Mas, antes que tivesse tempo de pronunciar qualquer palavra, o grão-sacerdote lhe falou: “coisa estra¬nha!!! Aquele sinal de morte, que vi em seu rosto, quando nos encontramos pela primeira vez, desapareceu por completo. O que você fez?!” Jirotcho contou-lhe como ha¬via procedido e o religioso concluiu dizendo a ele que a prática das boas ações o havia afastado da morte.

Deixe uma resposta