Avisos

Culto Mensal de Ação de Graças – 04/2009

Significado das Oferendas

Através das oferendas, simbolizadas por alimentos, dados a nós pela Grande Natureza, provenientes da montanha, do campo, do rio e do mar, expressamos afetuosamente o nosso mais sincero sentimento de gratidão a Deus.

Esta cerimônia evidencia também a real importância do valor da vida e da Luz de Deus, a autêntica essência da energia espiritual, que nos sutenta, protege e eleva.

Objetivo

O culto mensal de Ação de Graças do Templo Luz do Oriente é oficiado no primeiro domingo de cada mês, em agradecimento pelas dádivas que diariamente recebemos.

É também a oportunidade para pedirmos a Deus e Meishu Sama força e coragem a fim de podermos dedicar-nos com amor à concretização do Plano de Deus na Terra, tornando-nos instrumentos cada vez mais puros de canalização do Johrei.

A intensidade da Luz que envolve nossas almas, neste dia, tem um poder infinitamente amplo manifestado em sublimes vibrações de harmonia, verdade e justiça.

É pois, muito importante, nesta data, a participação devota e irrestrita de todos os membros e frequentadores.

Fotos

Salmo

Reisetsu

Jiyuumuge
kokoro no mama ni arinagara
norikoenu koso2 tootokarikere.

 

Hito to shite
fumubeki michi3 to tsutomubeki
wazatoshi arunari yumena kuruiso4.

 

Reisetsu5 wo
mamoranu jiyuushugi6 koso2 wa
nisemono nareto shireyo morobito.

 

Tao soshiru
himada ni araba waga kokoro
kaeri mi okonai tadashi okamashi.

 

Yoki kokoro
tsutome okose7 kasanareba8
itsuka makoto no zennin to naru.

 

jiyuumuge – lê-se / djiyuumugue / 2 koso – lê-se / kosso /
3 michi – lê-se / mitchi / 4 kuruiso – lê-se / kuruisso /
5 reisetsu – lê-se / reissetsu / 6 jiyuushugi – lê-se / djiyuushugui /
7 okose – lê-se / okosse / 8 kasanareba – lê-se / kassanareba /

 

 

Cortesia

Deixar como são
coração e mentes livres, sem limites.
Mais admirável, contudo, não ultrapassar a Lei.

 

Caminhos certos
trilhando, deveres, trabalhos cumprindo,
nem em sonho poderás cometer algum erro.

 

Toda pessoa
saiba: mesmo tendo total liberdade
de ação, deve conhecer os próprios limites.

 

Para refletir
nos próprios atos e corrigir o coração,
use o tempo que gasta ao criticar os outros.

 

Fazendo surgir
repetidamente sentimentos nobres,
um dia, o homem tornar-se-á bom de verdade.

Ensinamento

Ensinamento de Meishu Sama

A Importante Lei do Sôow

 

O mais importante em questão de fé é estarmos sempre atentos ao significado da expressão “Reino do Céu”, que quer dizer “Mundo Adequado”, onde tudo tem de ser apropriado. Em japonês, a palavra que traduz esse conceito é “sôow”.

Mas o que significa sôow? É um termo que corresponde a adequado, apropriado, condizente, ou seja, ter lógica. Sob esse prisma, por exemplo, ao fazer uso de remédios, o ser humano não estaria sôow, porque estaria agindo em desacordo com a lógica. Assim, ao procurar fabricar remédios utilizando-se de folhas de árvores, de capim, de minerais moídos, ou de musgos aquáticos ─ como é o caso da penicilina ─ o homem se encontraria fora da lógica. Deus criou musgos em água doce, justamente para servirem de alimento aos peixes, e não para que fossem ingeridos pelos seres humanos. Ao fazer uso dessa substância, é como se o homem estivesse roubando o alimento do peixe ─ atitude essa totalmente incorreta.

As doenças estão relacionadas à vida do ser humano. Portanto, para o homem ser salvo, folhas de árvores ou capim de nada servirão. Pelo contrário até: têm poder suficiente para destruir a vida humana, já que não passam de venenos, de substâncias que não têm a mínima força para salvar uma vida. Para ser capaz de salvar, só mesmo algo que esteja acima, algo com força superior à do ser humano. E só Deus possui essa força, o que nos leva à conclusão de que não adianta nada tomar remédios. Entretanto, os homens hoje agem tão completamente fora da lógica, que até fico constrangido em afirmar que já chegaram a ultrapassar os próprios limites da ignorância. Há um provérbio japonês que diz o seguinte: “uma pessoa ignorante só se cura quando morre”. E justamente por isso é que as pessoas morrem tão cedo.
De modo semelhante, o preceito sôow também pode ser aplicado no que diz respeito à prática da fé. Mesmo a imagem de Deus, quando entronizada em uma residência, precisa estar em concordância com as circunstâncias locais, ou seja, deverá encontrar-se em condições apropriadas ao lugar. Recentemente, um membro da Messiânica correu perigo, mas acabou recebendo graças e proteção até superar seus problemas. Aconteceram fatos que não deveriam ter ocorrido, mas, pensando bem, nosso membro havia entronizado em sua residência uma imagem de Deus que não estava adequada com a casa em que residia. Está incorreto entronizar-se a imagem de Dai Koomyoo Nyorai em casas muito pequenas, humildes e sem qualificação para tal. Isso não está sôow, ou melhor, não é adequado. Quando uma casa é boa de verdade, até Dai Koomyoo Nyorai pode ser entronizado, sem maiores problemas ─ e necessariamente, não é preciso tratar-se, nesse caso, de uma Difusão ou da residência de um ministro.

Antigamente, eu desenhava imagens de Kannon, e uma pessoa entronizou uma delas em sua casa ─ aquela imagem em que Kannon se encontra de frente. Entretanto, a imagem entronizada acabou ficando toda manchada, devido a chuva. Achei o fato um pouco estranho, mas fiquei sabendo que a imagem que manchou havia sido entronizada numa pequena casa de agricultores. Ora, uma imagem grande, excelente, não estava sôow com o local em que foi colocada, o que explica por que acabou molhada pela chuva. Portanto, tudo precisa estar de acordo com o sôow, com a lógica ─ e quem age dessa forma não erra nunca.

O mesmo se dá em relação a nomes. Procura-se escolher um nome que seja bom para alguém, tendo-se em mente que isso lhe será favorável. Só que, no final, esse nome poderá acarretar uma perda para a própria pessoa, devido justamente ao peso do significado que ele tem. Em japonês, costuma-se usar o termo “namake”, que significa ”preguiçoso”. Mas “namake” também quer dizer “perder para o nome” (N.T. make = perder; na = nome). Em resumo: o nome acaba sendo mais importante que o indivíduo e, nessas condições, a pessoa pode se tornar muito preguiçosa. Eu mesmo, antigamente, costumava dar nome às pessoas, achando ser necessário termos um nome que nos seja favorável. Entretanto, não fiquei satisfeito com os resultados que obtive nesse intento. Tudo tem de estar de acordo com o sôow, e isso se aplica não só a nomes de pessoas, mas também ao de associações. Quando, por exemplo, a palavra “céu” consta em um nome, isso nunca dá certo, por ser um termo demasiadamente elevado, bom demais. Portanto, em nenhuma circunstância da vida podemos nos esquecer do sôow.

No tocante à vida prática das pessoas, também deverá estar de acordo com o sôow que lhes diga respeito: renda familiar, posição social, tudo deverá estar devidamente ajustado. Dessa forma, a vida transcorrerá muito bem. Quando sentirmos que alguma coisa não está certa, basta fazermos uma análise da situação obedecendo aos princípios do sôow, que logo descobriremos o fator que não está se enquadrando adequadamente às nossas condições.

Quanto a atitudes pessoais, também deverão estar de acordo com nossas condições, com o ambiente e outras circunstâncias que nos disserem respeito. Tudo deverá seguir a lógica que for apropriada a nós. Quando alguém é muito excêntrico, extravagante, nada dá certo. Vejam o caso do fracasso do Japão na Segunda Grande Guerra. O motivo de sua derrota deveu-se a extravagâncias, já que os japoneses praticaram atos que não condiziam com as condições do país naquele momento; que não estavam sôow com o contexto do período. O Japão, mesmo sem forças suficientes, tentou a todo custo conquistar o Oriente, tendo também por objetivo chegar à Austrália, ou seja, o país não estava sôow, não tinha condições para arcar com tantas extravagâncias. Hitler pode servir como outro exemplo. O que fez também foi extravagante: o exército alemão lutou contra a Inglaterra e a Rússia ao mesmo tempo, assim como se caminhasse para frente e, concomitantemente, atirasse para trás. Claro que não deu certo, já que isso não passava de uma enorme excentricidade.
Há pessoas que têm prazer em fazer coisas extravagantes só para surpreender os outros; só para deixá-los boquiabertos ─ o que é absolutamente incorreto. O bom mesmo é praticar coisas comuns, corriqueiras. Até no meu caso, em que teço planos para a execução de grandes obras, mesmo assim, nunca faço nada com o intuito de surpreender os outros. Aliás, procuro prestar a máxima atenção nesse sentido. Hoje mesmo, li um artigo que falava sobre a difusão da Messiânica nos Estados Unidos. Isso pode até parecer uma certa extravagância de minha parte, mas com o poder que recebi de Deus, examinando a situação americana, chego à conclusão de que está sôow, ou seja, de acordo com a lógica necessária. Não observo haver discrepâncias nos planos e, por isso, tenho certeza de que tudo dará certo. Não farei muito alarde a respeito. No início, enviarei apenas a Reverenda Higuchi aos Estados Unidos, onde ela iniciará nossos trabalhos em um local pequeno, dando continuidade a eles paulatinamente. Agindo dessa forma, acredito que não haverá falhas ou malogros, de que não precisarei voltar atrás. Creio que agindo assim, tudo transcorrerá a contento.

Inclusive no tocante ao trabalho que venho executando no que diz respeito à construção do Reino do Céu na Terra, mesmo que as pessoas se mostrem bastante surpresas com o que venho realizando, procuro sempre estar atento a detalhes, buscando me lembrar permanentemente do fator ordem e também do sôow. Acho que por isso é que tudo tem corrido muito bem, andado rápido, já que minha intenção nunca foi retroceder em meus projetos. Mesmo para abrir uma Difusão, não devemos fazer planos grandiosos, que chamem muito a atenção. O melhor mesmo é executar cada coisa passo a passo, obedecendo à ordem e à prática do sôow. Agindo-se assim, tudo transcorre naturalmente.

Quando o objetivo único é ampliar para tornar algo grandioso, aí não se consegue obter resultados positivos. Entretanto, se por um lado não é boa a atitude de apenas pensar em fazer coisas grandes, por outro, também não se deve cair no extremo de diminuir muito aquilo que se tem em mente. Eu costumo dizer o seguinte para quem inicia uma atividade comercial: não pense no que você vai ganhar. Basta você pensar apenas em não ter prejuízos. Aí sim, não haverá erro. Não é bom ter em mente que se vai alcançar o sucesso em algum empreendimento. O certo mesmo é pensar-se em não malograr. Pessoas que já sofreram um pouco na vida dizem, frequentemente, que o ideal é agir da seguinte forma: pensar só de leve na obtenção de sucesso, mas firmemente na possibilidade de não malograr, de não precisar voltar atrás no que se pretendia. Tal modo de pensar não falha nunca. Até parece que isso não é nada, no entanto esse é justamente o ponto fundamental da questão. Assim, é importante imaginarmos também a hipótese de termos prejuízo e de como faremos no caso de isso vir a ocorrer.

Quando eu era jovem, procurava ganhar dinheiro, e até cheguei a ter um comércio próprio. Mas, se naquela época eu pensasse do modo como penso hoje, acho que teria ganho muito mais. Porém, nesse período, eu não pretendia outra coisa, senão ganhar dinheiro. Notem o caso do Japão na Segunda Guerra: a hipótese de uma derrota nunca foi pressentida; pensou-se única e exclusivamente na certeza da vitória. Em nenhum momento, passou pela cabeça dos japoneses que poderiam perder a guerra, e foi justamente devido a esse aspecto que o país acabou na miséria, que tudo acabou em tragédia. Por isso é tão importante seguir a lógica do sôow, imaginando-se que providências deverão ser tomadas em caso de malogro. Essa é a fórmula para se alcançar o sucesso, para tudo correr bem.

Isso também se aplica à religião e à filosofia. Quando iniciei a Messiânica, eu dizia às pessoas para procurarem fazer o que tivesse de ser feito sem grandes alardes, sem muita propaganda. E foi justamente isso que acabou levando a Messiânica a ficar conhecida mundo afora. O ideal é começar com pouco para, no futuro, crescer. Isso é o que faz toda a diferença. Por isso é que digo que em todas as coisas da vida é preciso cuidar do sôow. Esse é sempre o aspecto mais importante.

Até no que diz respeito à cura de doenças, a prática do sôow deve ser respeitada. Ao vermos um doente sofrendo devido a uma purificação, precisamos procurar saber por que os fatos estão transcorrendo daquela forma e, principalmente, o que está causando a doença que a pessoa tem. Ao voltarmos nosso olhar para as circunstâncias que a rodeiam, em especial o ambiente em que vive, se notarmos a inexistência de discrepâncias para o obtenção da cura, daí poderemos acreditar que tudo dará certo para o doente ─ o que quer dizer que ele está sôow. No caso do Johrei, por exemplo: ao ser ministrado em alguém, sem a obtenção de maiores resultados, isso é sinal de é necessário fazer orações a Deus. De imediato, haverá melhora no estado da pessoa, porque quando nos inclinamos demasiadamente apenas no sentido da prática do Johrei, esquecendo-nos de levar em consideração que o aspecto fundamental é Deus, estamos dando importância apenas ao galho, e não ao tronco principal. Mas quando se chega a esse ponto, o importante é pensar onde se está errando e o que se encontra fora da lógica adequada ao caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques

Meishu Sama

Johrei

Aulas do Reverendo Nakahashi

Templo Luz do Oriente

Construção da Torre de Miroku