» » Culto Mensal de Ação de Graças – 6 de janeiro de 2019

Culto Mensal de Ação de Graças – 6 de janeiro de 2019

Significado das Oferendas

Através das oferendas, simbolizadas por alimentos, dados a nós pela Grande Natureza, provenientes da montanha, do campo, do rio e do mar, expressamos afetuosamente o nosso mais sincero sentimento de gratidão a Deus.

Esta cerimônia evidencia também a real importância do valor da vida e da Luz de Deus, a autêntica essência da energia espiritual, que nos sustenta, protege e eleva.

 

Objetivo

O Culto Mensal de Ação de Graças do Templo Luz do Oriente é oficiado no primeiro domingo de cada mês, em agradecimento pelas dádivas que diariamente recebemos.

É também a oportunidade para pedirmos a Deus e Meishu Sama força e coragem a fim de podermos dedicar-nos com amor à concretização do Plano de Deus na Terra, tornando-nos instrumentos cada vez mais puros de canalização do Johrei.

A intensidade da Luz que envolve nossas almas, neste dia, tem um poder infinitamente amplo manifestado em sublimes vibrações de harmonia, verdade e justiça.

É pois, muito importante, nesta data, a participação devota e irrestrita de todos os membros e frequentadores.

 

 

Ensinamento de Meishu Sama lido na ocasião

Processos de eliminação das toxinas”, publicado no livro Evangelho do Céu vol. I, p.140; Lux Oriens Editora.

(disponível para aquisição em nossa loja virtual, www.temploluzdooriente.org.br/loja)

 

 

Salmo de Meishu Sama

 

Shin On

 

Sono koro wo

kaeri misureba osoroshi mo

yamiji tsue naku samayoishi ware.

 

Dangai no

yukute ni aru ga shirarekeri

Kami no hikari ni terasarete yori.

 

Fuki susabu

yo arashi totemo wasurekeru

Kami no hikari ni tsutsumarete yori.

 

Meshii hodo

haka naki mono wa yo ni araji

chikado no takara shiru yoshi mo naku.

 

Chikara naku

tsue naku tomoshibi motanu mi no

Kami ni sugarade ayumi ubeshiya.

 

 

Dádiva de Deus

 

Apavorante

relembrar aqueles tempos já passados!

Escuros caminhos! Eu, perdido, sem bengala!

 

Na minha frente,

infinito abismo; só pude perceber,

quando fui iluminado pela Divina Luz.

 

Pela Luz de Deus

envolvido, esqueci-me até mesmo

do terrível vendaval que assola o mundo.

 

O pior cego

é aquele coitado que, neste mundo,

não tem meios de enxergar tesouros tão próximos.

 

Não possuindo

bengala ou lanterna, nem força tendo,

como posso caminhar sem me apoiar em Deus?

Palestra

 

Fotos

Deixe uma resposta